A importância da textualização e retextualização nas redações escolares: a correção de textos em língua portuguesa na sala de aula

  • Débora Torquato Neto Silva Unipam

Resumo

RESUMO: Atualmente, tem-se percebido a dificuldade que os alunos que acabam de sair do Ensino Médio têm em expressar suas opiniões nas provas de vestibulares, principalmente a de redação, na qual o aluno deve ter maior domínio no quesito argumentativo. A falta de recursos de argumentação e o desconhecimento das técnicas de escritura de um texto fazem com que o nível de reprovação seja cada vez mais preocupante. Por isso, verifica-se a necessidade de repensar a forma como os alunos lidam com o texto para que estratégias de textualização e retextualização façam parte do dia a dia deles. O presente trabalho objetiva descrever a importância da revisão de textos em sala de aula no que diz respeito ao conhecimento dos elementos de textualização e retextualização necessários para a produção textual, reconhecendo-os como requisitos básicos para a elaboração de um texto, a fim de que o aluno desenvolva novas perspectivas sobre um texto já escrito, operando, assim, uma nova proposta para o mesmo texto. Para tanto, foi utilizado o método dedutivo, fazendo-se uso da pesquisa bibliográfico-documental para apresentar os conceitos de textualização e retextualização e expor os tipos de correção textual pelos quais o professor pode se pautar ao realizar tal tarefa. Espera-se que este trabalho contribua para a formação dos profissionais da educação no que se refere à correção de textos em Língua Portuguesa, para que esta se torne uma atividade mais interativa e colaborativa entre professor e aluno.

Publicado
2018-12-26
Como Citar
SILVA, Débora Torquato Neto. A importância da textualização e retextualização nas redações escolares: a correção de textos em língua portuguesa na sala de aula. Crátilo, [S.l.], v. 11, n. 2, p. 56-66, dec. 2018. ISSN 1984-0705. Disponível em: <https://revistas.unipam.edu.br/index.php/cratilo/article/view/1235>. Acesso em: 19 oct. 2019.
Seção
Artigos