A estrutura orgânica da comunidade: contribuições de Edith Stein em "Indivíduo e Comunidade"

  • Gabriel Silva Rosa Mauro Centro Universitário de Patos de Minas

Resumo

Entender as formas sociais e a sua implicância na formação humana é muito importante, pois é indissociável da pessoa: se elimina o aspecto social, elimina algo de seu ser. Nesta perspectiva, o presente estudo buscou responder os seguintes questionamentos: O que é a comunidade? Como ela se estrutura? O que a distingue das demais formas sociais? Partindo da obra fenomenológica de Edith Stein – Indivíduo e Comunidade – descobriu-se que a comunidade estrutura-se de forma orgânica por meio da relação recíproca entre os indivíduos, vistos como sujeitos, e não como objetos, como ocorre na sociedade. Na massa ocorre o contágio psíquico: os indivíduos não se relacionam de forma crítica, mas se deixam arrastar, por exemplo, pelas ideias de um líder. Na comunidade há uma corrente de vivências, que é enriquecida por meio da singularidade de cada indivíduo. Há membros que são os seus portadores de vida, seu núcleo, sua energia vital, mas há também aqueles que tomam dela mais do que contribuem. Por meio da abertura de uns para com os outros, os indivíduos também constroem fontes objetivas, que também alimentam a energia vital da comunidade. Por tudo isso, somente na comunidade o ente humano poderá receber uma genuína formação.

Publicado
2018-12-26
Como Citar
MAURO, Gabriel Silva Rosa. A estrutura orgânica da comunidade: contribuições de Edith Stein em "Indivíduo e Comunidade". Crátilo, [S.l.], v. 11, n. 2, p. 01-14, dec. 2018. ISSN 1984-0705. Disponível em: <https://revistas.unipam.edu.br/index.php/cratilo/article/view/757>. Acesso em: 25 aug. 2019.
Seção
Artigos